sexta-feira, 19 de junho de 2015

MAQUIAGEM DO CORPO



MAQUIAGEM DO CORPO

Nós, seres humanos, procuramos mostrar,
nossa beleza exterior. Então, se transformam,
com uma falsa aparência. Uma maquiagem,
que esconde tudo. Uma mulher para conquistar,
apenas pelo poder material, faz qualquer loucura.
*
*
Porém, isso, de nada adianta. O Amor Verdadeiro,
só faz moradia, em pessoas de coração nobre
e espírito puro. Nós, mulheres, em nosso interior,
já nascemos lindas. Fazemos apenas alguns ajustes,
retoques em nossa aparência, adornamos nossa beleza.
*
*
Uma maquiagem bem feita, torna uma mulher linda.
Mas, de nada adianta um belo exterior, se sua alma,
está corrompida pela feiura e pela sombra do egoísmo.
A beleza é importante para o amor-próprio.
Sem esquecer, a harmonia e serenidade do nosso interior.
*
*
Sabemos, que o importante é que está em nós,
e não o que está a nossa volta. A fragrância de um perfume,
está dentro do vidro e não fora, em uma embalagem bonita.
O coração é um conteúdo, que merece ser lapidado, 
como um diamante, e blindado, para não se corromper.
*
*
Deve ser protegido, das ilusões passageiras,
e das falsas seduções. Somos o que somos.
Que nos ama, irá nos olhar, com os olhos da sensibilidade,
e não um corpo desfrutável. A nossa beleza interior,
é a chave para abrir as portas do coração e felicidade desejadas.


Poetisa Enilda Teixeira Góes____18/06/2015____18:34
Lorely


Dividida andas loucamente,
Tentando entender a própria mente,
Na medida que na escuridão sente o peso do açoite,
Aproxima-te da parca luz bruxelante e fumarenta, do archote do guardião que ronda a meia noite,
Com a cabeça tonta senta, expurga em vômito pútrido a sombra lamacenta,
E de dor quase não se aguenta, 
Botando boca a fora a corrente que te aprisiona, porém tanto tempo vivido em tormentosa zona, provoca ilusão de que estavas plena, perdendo agora a mão do carrasco, do qual sentia asco, más que fez parte do teatro que tu encena.
Perdida de si, sem saber pra onde ir, perguntas a ti mesma se caminhar na claridade valerá a pena,
Parece que cada transeunte com o olhar te reprova e te condena,
Teu corpo está desnudo, tua aparência provoca susto, más caminharás a todo custo,
Não te reconheces ainda como filha pródiga, e na loucura sem lógica dos pensamentos teus, não sabes que tua procura insólita, termina em Deus!


(David, o monólogo da alma)


Alma Bordô


Alma Bordô

Bordou o nome teu ao meu em núpcias...
Ao cavalgar meu corpo além da linha do tempo
No seio das nuvens lambeu o vento em carícias
Deu-me asas d’ deusa delícias d’ninfa d’ Olimpo...


Desenhou-me letra utopista bordou monograma
Escreveu-me em sua realeza e monogamia
Bem agosto dos leões na liberdade do poema 
Pousou na mente fértil e aportou em poesia...

Transformou meus sonhos matizou d’ bordô
Com mel maravilhado das falanges d’um deus
Abordo fez carinhos sorriso e charme pornô
Assim esculpiu-me Zeus nu... Delírios meus...

Personalizou minha’lma riscou arabescos
Desenhou sua escultura em meus olhos
Estampou minha boca com eternos beijos
Despejou cultura em minha língua... Desejos...

No seu versejar me fez sedução de Afrodite...
O sempre lambejar do ventre da musa Calíope
Há eloquência nos lábios teus em me riste
Os dedos de prosa aos meus olhos míope...

Tanta inspiração ao dizer-me musa amada...
A vaidade maior é sentir-me tua verdade
Ter minhas alamedas nuas em terra decifrada
Timbrado bordô em código e relevo saudade...

Son Dos Poemas
SÓ Poesie