sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Eterna Rainha Oribes Jr



ETERNA RAINHA.

Vem com seu trejeito,
majestosa de 40,
lindona mulher de 50,
magnifica aos 60,
rainha de 70.


Envelhece na pele,
rejuvenesce na alma,
brilhante como o sol,
perfume de flores.

Muitas paixões,
Encantadora de corações,
lagrimas e choros,
de quem amou e foi amada,
de cabelos brancos.

Fera indomável, 
marcas da saudade,
da boca que beijaste.

Vestida de anjo,
virou noiva de sonhos,
agora é poema,
dos poetas inspirações,
que partiu muito corações.

" Assim se faz à quem tanto fez.
Linda mulher de 40,50,60,70 e além mais ".

Autor: Oribes S. Junior

A Minha Alma - Helena Fragoso



A minha alma

Nestas ruas da cidade adormecida
A minh’alma vai voando livremente
Entregando-se à saudade construída
Na certeza de amor dado a tanta gente


Vai sozinha, por sozinha se encontrar,
Bem no meio dessa enorme multidão.
A tristeza vem sorrindo e logo a par
Do seu lado caminhando dá-lhe a mão.

Rodeada pl’a tristeza e solidão
Caminhando no meio da imensidão
Que correndo vai cruzando esta cidade

A minh’alma manifesta o seu cansaço
Abraçada à solidão e em seu regaço
Adormece nessa hora por ser tarde!

Helena Fragoso

Soneto Helena Fragoso

Soneto:

Eleva-se um poema nos compassos
Dos dedos do poeta que em magia
Vai regendo essa arte em sintonia
Nas vitórias da vida ou nos fracassos.


As rimas que compõem esses traços
Arpejos de uma heroica sinfonia
São pausas que vagueiam nos espaços
Entre as mágoas sentidas e alegria

E passo a passo dentro dos seus passos
Desenha a sua arte nos abraços
Em perfeita grandeza e harmonia

Então é num soneto que esses braços
Compostos por seus sonhos e cansaços
Nos banham de poesia dia a dia...



Helena Fragoso

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

POR TODA A VIDA Cler Ruvver



POR TODA A VIDA
Cler Ruvver

O Amor antecede, à transformação;
O Amor antecede, todas as chegadas;
O Amor antecede, todas as canções;
O Amor antecede, todas as subidas.
Só o Amor, depois de toda a imensidão;
Só o Amor, depois da roda dos ventos;
Só o Amor, depois de cada um, momento;
Só o Amor, depois de cada partida.
É Amor, quem faz voltar, na solidão;
É Amor, quem faz até curar a dor;
É Amor, quem deixa marcas de Amor;
É Amor, quem energiza na subida.
O Amor...
Só Amor...
É Amor...
Por toda a vida!

A POESIA DA VIDA





A POESIA DA VIDA

Dona Poesia, que és doce namorada,
Que és tão bela, e tão rica, minha deusa;
Desce do alto de quem és por realeza,
E me ames quanto a tenho por amada.

Conceda-me um só verso por grandeza,
Um poema de beleza inusitada;
Com que eu possa de sorte inesperada,
Fazer feliz a todos por empresa.

Que no seu canto se encante a dor doída,
E quem de triste se faça de contente,
E possa desse jeito enfim a vida;

Ser um fato de amor humanamente:
Que passe de tal modo embevecida,
Que não passe qual poesia de repente!

João Urague Filho

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Mar De Poesias



MAR DE POESIAS.

A poesia navegou,
Mistérios e fantasias,
Um mar de amor,
Sereia!
Beija na areia,
O sol clareia,
Nas ondas do amor,
Eu vou e venho,
Me perco no destino,
A lua que me conduz,
Estrela minha guia,
Canta o pescador,
Vai buscar o teu amor,
E na lua cheia quem aparece é a sereia,
Lá vem o boto conquistador,
Joga rosas para yemanjá,
Sete ondas vai pular,
O azar afastar,
Beleza e riqueza tem no fundo do mar,
Berço do sol,
Espelho da lua,
E nesse esplendor eu vou te amar,
No balanço das onda,
É nesse mar que vou,
E o poeta virou navegante,
Nesse misterioso mar de amor.


Autor: Oribes S. Junior.

Olhar Nivelado



Olhar velado.

Da minha janela é fácil ver,
Toda gente que vai passando.
Eu menina só olhando,
Me perguntando, o que vão pensando?


Na rua pessoas de todos os tipos,
Homens , bonitos,altos ou desajeitados.
Mulheres também, de todo tipo,
Até idosos, sendo desrespeitados.

Janela alta, casa antiga,
Aquela que dá direto para a rua.
Parede divide o lado de dentro,
Lá fora vida, nua e crua.

Apoiada com as nádegas na comoda,
Cotovelos na parede na madeira.
Balançando as pernas vez em quando,
As vezes sentada na cadeira.

Absorvo cada rosto que passa,
Sem piscar, e com muita calma.
Parece que mastigo as imagens,
Como pipocas, carameladas para alma.

O cenário não muda sempre o mesmo,
Muitas casas lá do outro lado.
Rua, calçada, árvores e fios elétricos,
Ligando tudo que parecia ocultado.

Só pessoas que mudam tempo todo,
Não me canso,só olhando...
Aqui é um ponto do caminho,
Captura-se por pouco tempo,vão andando.

Não tem hoje, não tem ontem, não tem amanhã,
Nem nomes, nem história pra guardar.
Sequência não tem, coisa que cansa,
É tudo que vê, e se calar.

Não adianta, não resisto,
Coisa boa...é noite muita gente vai passar.
Na fresta entreaberta, bem nos vãos,
Lá vou eu na janela espiar.

Mulheres,salto alto batom perfume,
Gatos fuçando ,cães vadios abandonados.
Bebedeira mais profunda noite adentro,
Enquanto outros passam,e vão calados.

Bem em frente minha janela tem um poste!
Aquele de onde tudo se origina.
Insetos bailam no holofote,
Como bailarina toda menina se imagina.

Moço! você que está ai sentado,
Vá para os braços de quem ama.
Porque você não passa?
Vá para o aconchego de sua cama!

Rostos despontavam sobre a nevoa,
Ali por algum tempo se detinham.
Entravam e saiam do meu campo de visão,
E simplesmente desapareciam.

Ouço outras vozes, outros ruídos,
Ais de um alguém que clamou.
Não lembro de nenhum deles,
A não ser do moço que não passou.

Isto me incomodou, fui dormir cansada,
Sono de marinheiro no balanço do mar.
Sonho com tudo que vi na janela,
Era só sonho, muito sonho, sem parar.

Passou o tempo, como passa para todos,
Alguma emoção muito forte me aconteceu.
Toda menina se transforma em mulher,
A vista na janela emudeceu!

Aprendi com uma certa dor,
Que é impossível ter controle sobre o mundo.
Somos a convergência de muitas forças,
Que nos move, ou paralisa num segundo.

As vezes quando me aproximo da janela,
Fico olhando, pensando ali parada.
Com um certo sentimento, com olhar velado
Lembro com saudades, a menina do passado.

Zabele Rosa
02/11/2015

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Manhã d'Maio





Manhã d’Maio

Minha coleção de relíquias...
Um livro sedutor de poesias...
A caixa encefálica amarelecida
E o beijo na língua da despedida...

As margaridas recolhidas onze horas
Fechadas nos botões enverdecidos 
As horas macias garoadas n's auroras
E o mês das núpcias em poemas tecidos

Manhã de maio outono aconchego...
O sol logo cedo fazendo companhia
O friozinho de pré inverno café sôfrego...
Ainda me lembro do sonho floral que vestia...

A voz do vento assoviava em meu ouvido
A mesma canção que ouço agora... ”Ela”
Estremecia-me o ar boêmio e perfumado
A sina era escrita na estação mais bela...

O céu estrelava azul anil foi primeiro de abril...
O orvalho clareava os olhos espelhados
O clima alinhava manhã nos lábios primaveril 
Corria maio quase oito os dias floridos...

A colheita se fez e abril partiu em páginas lidas
Agora o novo é maio das orquídeas abridas
Aconchega a flor na lapela usa de estratagema
Voluptuoso inspira-nos escrever novo poema...
Maio...

SOn Dos Poemas 

Meu Dilema



Meu dilema...

Meu tema...
Devorar-te ou não Poema?
Eis minha questão!
Comer você... Como uma fatia de pão
Escrever-te ao toque d'minha mão
Beber-te como um doce licor
Saciar minha sede de amor
Saborear-te na ponta da língua
Fazer-te lua crescente desta que míngua
Não tem dilema...Nem problemas 
Na minha língua arde poema
Na minha arte impera paixão
Nu meu corpo transpira tesão
E o coração pulsa puro amor...
Son Dos Poemas 
SÓ Poesie

Sangrando ns palavras



Sangrando nas palavras....

Serão talvez as mágoas que antecedem
Momentos, que hoje são apaziguantes...
A dor, a solidão, que eram constantes,
De paz hoje sentir... Elas me impedem...


Sangrando nas palavras que me medem
Num grito de sentidos bem marcantes
Mergulho nesses ecos degradantes
Que até tento calar... Só que não cedem...

Por vezes vejo que eles me concedem
Uma trégua fugaz! Mas não se excedem
Nesses momentos sãos, edificantes...

Em suas intenções já retrocedem
Os ecos degradantes se sucedem
Tornando tudo turvo. Como dantes!

Helena Fragoso


Tão bom
quando a Vida
nos levanta da cadeira
e nos faz dançar.
O ritmo?
Depende do Dia!
Um passo de cada vez.
Sou aprendiz!
.
( Inês Seibert )

TREM DA SAUDADE



TREM DA SAUDADE.

Embarcou no vagão,
Viajamos juntos,
Sorrimos e choramos,
Ao longo do trajeto...vida
Uns desembarcaram
Outros continuaram à viajem,
A cada estação nova história,
Sobe e desce,
Sorrisos e lágrimas,
Eu te amei!
Agora com olhos lacrimejados,
Lembranças!
Que dói no peito,
O teu abraço,
Teu carinho,
" meu pai " calou
Seis anos de saudades,
Está na eternidade,
Morando nas estrelas à brilhar,
Guiando meu caminho,
Amanhã! três do onze
Eu sempre vou te amar e chorar,
O vazio que sinto,
Da tua vós agora emudecida,
Está nas flores,
No jardim!
Muitas estrelas juntas aluminam o meu céu,
E nesse trem eu faço à viajem,
Outros passageiros se juntam à mim,
E nas lágrimas eu apenas choro,
E guardo na alma à saudade que deixou,
Porque eu sempre vou te amar...meu filho


Autor: Oribes S. Junior.

Mentirosos, não apenas!



Mentirosos, não apenas!

Esta coisa de palavras aqui
Palavras ali
Já vinha me fazendo crer
"O amor é base fundamental"
— falso axioma...
O amor é a chave do anormal
chave do redoma
Nos dá prazer de sofrer...
É pelo pressuposto de amar
Que continuamos a nadar
Continuamos a falhar
Continuamos ciosos no ciclo vicioso
— ciclo de enganos...
Somos mentirosos!
Mentirosos, apenas!
Um mar de ondas que espuma devaneios.
Ninguém sai de si e se entrega.
No preto
No branco
Somos uma coloração que se nega
Somos uma especulação cheia de recreios.
Nossas incertezas são as verdadeiras mães de tudo
Tudo quanto o nada nos suscita a baralhar.
Fácil é crer do que ver
Quando se trata de amor
O recomendável (e melhor)
É ver e depois crer
Melhor ainda
É logo crer...
Não querer nada saber
Não saber
Sentir
Apenas
Confiar tudo nas mãos da cegueira
Nas asas da loucura
Mentir
Não apenas
Ficar sóbrio de coração
Fazer do corpo o obreiro da paixão
A alma — o cancioneiro da amargura...
...os pés pela cabeça
Amamos
E a vida é suportável
Suportável porque somos mentirosos...
Mentirosos, não apenas
— amamos!


Moisés Jalane

Jardim De Amor





JARDIM DE AMOR.

Flores do meu amor,
Rainha de inspirações,
Deusa de muitos sonhos,
Devaneio de paixões,
Histórias de amor,
Pétalas que caem e cobrem o corpo,
Fascínio de pintores,
Tema de compositores,
Lágrimas dos olhos de amantes,
Choram pelo seu amor,
Magia feminina,
Deslumbrante!
Magnifica forma de todas fantasias,
Sedução à flor da pele,
Doce menina,
Desabrocha no botão da rosa,
Princesa do amanhã,
Noiva de todos os tempos,
Esposa eterna,
Lua de mel,
Deitada sobre as estrelas,
Intensa força do amor,
Assim se fez o jardim,
Plantei à semente colhi o teu amor.


Autor: Oribes S. Junior.

Relfetindo







REFLETINDO

Não
pretendas
nem
esperes
palmilhar
estradas
grávidas
de
luz.


As trevas
também
brotam
ao redor
dos teus
dias.
Segue
tecendo
a fé
Naquele
que te conduz.

(R.M. Cardoso)

Beba-me


Por Amor


Artista





Artista

De muitas maneiras
A beleza se expõem
No bailado suave
Da borboleta mais rara
Até o ataque feroz
Da abelha africana
Formas, cores e sons
Se engravidam e proclamam
Para deleite dos homens
Maravilhados com os sinais
Traduzidos pelos artistas
Que na emoção incontida
Erguem anjos de mármores
Sinfonizam o silêncio absoluto
E fazem a palavra ecoar
Para além do próprio tempo.
(Hudson Ribeiro)
Bom dia!

Triste



TRISTE
Cler Ruvver

Faço poesia triste...
Porque o triste me encanta;
Assim como, a “todo-mundo”.
Conto histórias tristes...
Porque as pessoas gostam
- de ficar tristes.
A minha vida é triste;
Mas eu amo a minha vida...
Mesmo cheia de lágrimas e queixas.

Te procurei por todos os cantos do mundo ...



Te procurei por todos os cantos do mundo ...

Autoria : M Ivoneide J de Melo.

Fascínio da ternura ... lá te procurei ...
os lugares que netuno mostrou-me
não te encontrei ... na lua, estrelas
sol e no perfume da flor da laranjeira
te busquei ...


Por toda a minha vida...te procurei
no olhar da candura lá não te encontrei
no número da sílaba métrica do terceiro
e último verso para concluir o soneto
lá não estavas ...não te encontrei !

Quando o sol rompia o dia, te busquei ...
quando a lua beijava o mar ... não te achei ...
pra te encontrar no meu suor...me encantei
tu exalas pelos poros....no teu cheiro me encontrei
tu e eu ... nós ! cheiro de pecado, fruto proibido !

Beijos furtivos...acalorados ,roubados...
dois amantes apaixonados ... escondidos
atrás do mundo na esquina do silêncio
sentimento profundo ... te revelaste só pra mim
Finalmente te achei !

Lei 9.610/98
03/11/2015

Por quê?



Patrono : Ferreira Gullar
Acadêmica : Maria Ivoneide Juvino de Melo

Por quê ?


Esquecer-me-ei
de mim....
prometo jamais te esquecer

amo-te
com a força de um
amor inexplicável

amor que prescinde
transcende o infinito
perpassa meu Ser.

aloja-se na minha alma
e crava meu coração.

Te amo, 
não sei por quê
este amor imensurável

invade-me
sem motivo, 
sendo somente...

você único motivo
nem sabemos ao
menos o porquê !
Lei 9.610/98
Maria Ivoneide Juvino de Melo

DESEJO INTENSO



DESEJO INTENSO.

Hoje, senti um desejo intenso 
de te ver.
Uma saudade imensurável...
Uma vontade louca 
de cair em teus braços,
de suavemente beijar-te,
de olhar dentro de teus olhos
e dizer que te quero.
Que és a seiva que alimenta 
o meu coração.
Que és a inspiração que preenche
o meu espírito. 
De repente,
a ânsia insana de te ter aqui,
face a face,
e deixar fluir deste meu peito
o grito nascido de minh’ alma.
Bem alto, bem forte,
ecoando em todas as direções, 
e, carinhoso, dizer:
Paixão,tu és o único e grande amor
de minha vida inteira.


Escreveu Nonato Lopes da AICLA e de Itapecuru-Mirim-MA.

NLC Poesias


SÓ QUERO



SÓ QUERO...

Ter na vida a garantia
De viver feliz todos os dias
Sair livremente às ruas
Garantir liberdade nas tuas
Fantasias quero vivê-las
Para na poesia eu escrevê-la 
Viver da arte e na arte da magia 
Transformar meus medos
Em pássaros livres
Levando em suas asas
Os mais belos versos em melodia


Simone Medeiros
04/11/2015

Encantos



Encantos...
*


Hamilton Ramos Afonso
*


Em cada sorriso teu 
colho a cor intensa 
das rosas vermelhas,
perfumadas 
e delicadamente cuidadas 
pelas tuas mãos de seda...

Com elas vêm os espinhos da saudade
não pelo amor que podia ter sido, 
mas sim pela amizade que nasceu do amor esquecido
afecto fortalecido apesar da distância...
que nos separa...
...unidos pelos aromas colhidos em sonhos 
em noites cálidas olhando o céu
contando as estrelas que cada um acende , para o outro...
sonhando acordado na magia daqueles abraços
que deixaram em nós o calor do afecto
e a mistura da alfazema e do jasmim
que perdura e nos perfuma todos os dias
recordando-nos a promessa que fizemos
olhos nos olhos: cada um viver a sua vida 
na vida do outro para sempre...

Quando Se Ama



Patrono : Ferreira Gullar.
Acadêmica : Mª Ivoneide J de Melo

Quando se ama...


Quando se ama...
suspira palavras, inala paixões
exala ternuras , gera perfume
acende a luz da bondade
romanceia a penumbra

sintoniza olor e o calor entorpece
delira ... in candeia, incendeia é
mágico é esplendor !

canta sonetos , degusta sentir
enquadra-se no verso
na métrica é decassílabo
inverte o verso impacta
emoções desnuda a alma

compactua e coroa a súplica
sela amantes , anela o encanto
agoniza o suor ... ele escorre 
expele afã do amar
valeu a pena esperar
sou tua e tu és meu ...sem pena
Vem... !!!!
Maria Ivoneide Juvino de Melo.
Todos os Direitos Reservados
Lei de Direitos Autorais Lei 9.610/98

Deixa



Deixa...

Deixa que te fale
Do mundo, da vida
Das noites, da lua
Dos astros do céu...
Deixe que te fale
Da dor, da partida,
Dos pobres da rua
Do destino meu ...


Deixa que mergulhe
No teu peito aberto
Que te rasgue e morda
Teu Ego, teus mundos...
Deixa que mergulhe
No teu longe e perto
E num beijo sorva
Desejos profundos...

Deixa que possua
Teu corpo vibrante
No momento ardente
Sede de te amar...
Deixa que me inclua
Nesse ato constante
De um amor fremente
À noite, ao luar...

Deixa que por fim
Em explosão loucura
Se fundam sentidos
Ais, fluidos e cor...
E deixa que enfim
Sinta essa ventura
De nós dois unidos
Sermos um ... Amor!

Helena Fragoso

Resilientes


LIBERDADE



LIBERDADE

De que adianta viver em liberdade,
Se preso estou a você por vocação;
Tenho o mundo aos meus pés por condição,
Mas gravito à tua volta por vontade.


Qual nuvem dou-me em asas de algodão,
Voejando por quimeras de verdade;
E tudo quanto sonho por vaidade,
Ofereço-te a ti tão rente o chão.

Conquanto voe, rastejo na tua mão,
Rogando dessa vida a brevidade,
Ardendo como um louco de paixão;

Que cuido ter no peito por piedade,
Algures que me cala na razão,
Pois que tu és minha própria liberdade!

João Urague Filho

Denise Flor


Teus Olhos



TEUS OLHOS

Teus olhos são janelas, minha amiga,
Onde a alma enxerga o mundo e seus primores...
Serão azuis ou verdes pelas cores?
Com que cores vês o céu que te abriga?

Com que cores vês o mar, o ar, as flores?
Com as cores que tem - talvez me digas –
Mas há qualquer coisa em mim que me instiga,
A crer que vês as coisas multicores.

No garço dos teus olhos fulge a vida,
Resplandece o céu, o mar e a esperança,
E não sei quantos sonhos de ventura:

Que penso ser teus olhos, minha amiga,
Uma enseada de paz e de bonança,
Onde resplende o Sol da formosura!

João Urague Filho

Amores Virtuais por Jonathan Lopes






Amores Virtuais por Jonathan Lopes

Nunca desfaça da pessoa que te ama, pois ela guarda em teu coração tudo sobre você sabe das tuas fraquezas e dos teus medos e se um dia ela se revoltar por naummais aceitar ser maltratado, humilhado e desprezado ela poderá aprender com você e usar isso contra você ....
Todos temos os dois lados da moeda, mais o que define a diferença e que um quer sempre se ter o lado do valor e nunca dar a cara pra bater
Amar e bem mais do que dizer eu te amo....
Amar e bem mais do que fazer amor .....
Amar e respeitar a pessoa em um todo fazendo dela a primeira e a única a fazer parte da sua vida.....
Ninguém muda por obrigação, muda pela necessidade de agradar a pessoa amada .....
Isso chamasse amor, reciprocidade ....


Por Jonathan Lopes

https://m.facebook.com/Amores-Virtuais-por-Jonathan-Lopes-…/

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

AUSÊNCIA DISFARÇADA Cler Ruwer




AUSÊNCIA DISFARÇADA

O corpo acende,
O coração pulsa.
E bate descompassado,
Pressagiando o reencontro.
Já sente a presença,
Já sente até o calor.
Sente o toque das mãos,
Sente gosto e sabor.
Sente até mesmo o cheiro.
Da pele, o arrepio.
A miragem do olhar,
Vigiando a saudade.
Sente o sussurro da voz.
Sente frio...
Então envolve no abraço,
O próprio corpo, vazio.
Plaft!
Caiu uma lágrima.
Acordou!
Essa ausência disfarçada, 
De anjo ou querubim.
Que inventa mil travessuras,
E faz real a loucura, 
De sentir VOCÊ, em mim...

CLER RUVVER

LEMBRANÇAS DE AMOR




DOCES LEMBRANÇAS DE AMOR.

Minha mãos estão tremulas,
Lágrimas rolam pela face,
Gosto amargo da saudade,
Que se eternizou,
Dos beijos!
Dos nossos lábios unidos,
Eu te amando...meu amor
Promessas!
Juras de te amar,
Jamais te deixar...ir além
Amor que me fez bem,
Desse nosso amor,
Que fizemos! e à lua nos sorriu,
Foi nas nuvens que te amei,
Escrevi nas estrelas o teu nome,
Que agora brilha no céu,
Fogo de muita paixão,
Que arde e consome,
Melodias que escuto no escuro do quarto,
Te quero ver comigo,
Te amando e tua boca beijando,
Te ver toda nua,
E nos meus braços fazer teu aconchego,
Nesse nosso chamego...amor
Diz pra mim...eu te amo
Diz que sim...
...que te digo que eu vou viver esse amor
E jamais ti perder.





Autor: Oribes S. Junior.

Carta De AMOR



CARTA DE AMOR

 A amada a conhecer...
Mediante essas palavras dirijo-me a você em busca do verdadeiro amor.
Moça, dentre as flores que vi nesse frutuoso jardim
Encontrei a beleza incomparável.
Sei que você esteve atrelado a outra pessoa mas...
Eu sou o seu verdadeiro amor de sua vida.
Nas minhas andanças sua lembrança era constante
E não poderia ficar mais longe dos teus braços.
Eu dormia nos teus olhos
Como o sol adormece nos fins do entardecer
E que as pessoas sentiam esse marcante momento.
Agora ponho meu coração ao seu dispor
Sem receios de ser feliz no amor para sempre.
Minha infelicidade
Resume-se em não ter-te, mas...
Quero confessar-lhe que desejo tê-la como eterna namorada, e..
Espero que estas palavras sinceras
Perpetrem no íntimo do seu eu
Para que definitivamente lhe conquiste.
Transporto-a beijos inusitados
Abraços iluminados de paz
E que sejamos eternos de longevidade amorosa.
Danilo Evangelista.

TODOS OS SENTIDOS CLER RUVVER



TODOS OS SENTIDOS

Faça amor comigo!
Leia-me, sinta meus pensamentos...
Queira-me, toque meus sentimentos...
E sinta-os entrando em ti;
Invadindo o teu corpo;
Beijando teu gosto;
Acordando teu cheiro;
Para entrar em mim.
Me embriaga do teu sabor; 
Me embriaga do teu querer;
E então, me mostra o teu amor.
Se misturando ao meu prazer;
Acorda-me, por favor.
Dá-me um pouco de ti; 
Que então, eu, me darei inteira!
Em cada verso; em cada emoção.
E os meus sonhos, além da vida...
Esses... Espero, sejam Canção.
Com notas livres, pela avenida...
Ao som do ritmo que instiga,
O tum, tum, tum, do teu coração!!!

Cler Ruvver

LIVRES CLER RUVVER



LIVRES

Em cada estrada, a passagem dos anos
Livres... Vai deixando um bis...
Eu quero é ser feliz... Eu quero é ser feliz...
Tanto se repete; tanto se acredita,
Que a felicidade fica mais bonita.
Passa-se as horas, passam os momentos,
O amor multiplica, cada pensamento.
Assim dia-a-dia, vai passando o tempo.
Cada ano passado, é apenas soma,
Do curso da vida, em novo idioma,
Que nenhuma língua, pode traduzir.
Pois em cada vida, o amor retoma...
À felicidade, de sempre existir!
Cler Ruvver

MELGA





MELGA

Através dos sentimentos salpiquei minha alma
Emoção de uma melga ousada e feliz
Não é bonita esteticamente 
Mas o meu desejo ardia ardentemente.


Nas batalhas pintei meu retrato 
Não foi o melhor retrato ardente
Vermelho carmim que se encaixam resplandecente 
Na ousadia que liga única no prazer.

Uma borboleta que aprecia teu olhar
De um delírio na brisa do seu arrepio
Cheiro das sensações em chamas
Absoluto de prazer em lábios quentes.

Ver as estrelas pintoras de emoções
Mentes se encaixam incendiando o coração
Em seu pleno quero te namorar
Fico exposta desavergonhadamente nos sonhos que te chamo.
Jey Lima Valadares**18:50**28-10- 2015**Itagibá.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

MUNDO ENCANTADO É POESIA.




MUNDO ENCANTADO É POESIA.

O poeta sonhou e viajou,
Acordou no mundo da fantasia,
Cheio de nostalgia,
Muita magia,
Poeta sonhador,
As flores dançavam,
O passarinho cantava,
Natureza de beleza,
Recheada de amor,
Perfumada de paixão,
As mãos trêmulas escreveu,
E à fantasia nasceu,
Dessa viajem encantada despertou,
E no nosso mundo acordou,
Chorou!
Do colorido ao cinza,
Do sorriso as lágrimas,
E agora à unica beleza é poesia,
Que tristeza!
Se desfaz à beleza,
As flores secaram e os pássaros voaram,
E na poesia ficou as letras de um sonhador.

Autor: Oribes S. Junior.

“MORENA LINDA E MISTERIOSA”



“MORENA LINDA E MISTERIOSA”

Morena misteriosa da cor do pecado,
Um anjo que caminha para todo lado, 
Uma fada em um mundo encantado,
A estrela que deixa o céu encadeado!


Morena linda uma deusa misteriosa,
Em ti exala o perfume de uma rosa,
A sua voz suave seus lábios endossa,
o seu rosto a pureza de ser formosa!

Morena linda como a lua esplendora,
Você é na vida uma doce encantadora,
Em seu coração uma porção de amor,
Em seu semblante um olhar sedutor!

Morena linda num sorriso um mistério,
Você é da beleza a rainha do império,
Cabelos longos em fios de felicidade,
O seu corpo esbanja a sensualidade!

Silvio Batista

Sou Uma Flor




Uma linda noite cheia de paz e sonhos perfeitos

SOU UMA FLOR

Pela sua cor branca não sou
Seu significado é pureza, paz...
Encosta a tua face na minha suave e bela
Agora é chuva fina na tranquilidade e calma
Sou copo- de- leite em luz macia
Bela e graciosa em ventania.


Ilumina e enche de alegria todas as noites
Ao raiar está entre as flores
Fascinante em todas as cores
Perfeitas como os amores tão fortes 
Uma flor no deserto colorindo essa fria ilusão
Passa e se renova a cada estação.

A copo- de- leite és fascinação 
Suas vestes brancas são marcante
Exala perfume na boca que respira a chuva
Linda moça que não passei mãos estranhas
Brilham no altar e em qualquer lugar
Sua metade é constelação de caminhar.

Sou em forma morena graciosa
Coração nomeou para sua existência
Murchará na estação que se finda
Voltará como cascata e mais linda
Da submissão aos amores na fertilização 
Aos beijos de lábios até o coração.
Jey Lima Valadares**Itagibá**15:00**17-08-2015


A COR DO AMOR



A COR DO AMOR


Poder, moldado à sensibilidade, no cio, 
Que aviva os sentidos copulando, 
Na virilidade das mãos, 
Para em pleno registro do orgasmo, 
Salvar o sêmen, que se espalha, na forma de tinta, 
Abraçando o papel. 
Pequeno modelo da Criação, gerando emoção, 
Para a produção de novo Poema! 
Algo indescritível, qual passeio de animal livre,
Enquanto a força procria, entre os arbustos. 
Ou talvez, um pássaro em pleno voo,
Dividindo calor com o ninho; 
Esperança da nova prole.

Cler Ruvver

SENTI



Senti

Hoje,
A madrugada nasceu 
Sem suas cores avermelhadas...
Senti que o sol se escondeu
Por entre nuvens de silêncios
Que, no entanto feriam meus ouvidos,
Silêncios que de tão gritantes
Penetravam meus sentidos...
Pensei
Que tudo o que me rodeia
É efêmero
Assim como efêmera é a vida...
Senti que não há perto nem longe
Que tudo é tangencialmente precário
E deixei-me invadir por esse abandono
Que me levou a um estado 
De total letargia...


Repentinamente senti-te...

Vinhas despido de tudo, 
E eu reinventei-te apenas dos nossos sonhos
Nos poemas que dissemos um ao outro...
Vestias-te somente de olhar e sentimento
E o teu aroma vinha dos nossos jardins...
Vinhas coberto de paz, 
E senti-me liberta de mágoas, 
Apenas entregue às asas da fênix
Que em nossos momentos de amor renascia
Soltando fogo de pétalas azuis, 
Que se afundavam em lagos de luz.
Enfeitei-me com o brilho das estrelas
Com que me envolvias nos beijos que me davas...

Por fim... Acordei... 
Abandonou-me a tal letargia...

Mergulhei contigo 
Nos sentidos profundos do amor
Nos segredos oníricos da poesia
E em segredo nossas almas felizes
Amaram-se até ser dia...

Helena Fragoso

DUETO Son Dos Poemas & Poeta Anônimo

Boca em forma de asa
Convidativa como uma taça
Transbordante de todas as graças
Capaz de longos silêncios
Sem nunca ficar calada
Qual será o gosto dessa boca
Além do amargor das madrugadas?
E como será o eco dessa língua
Que lapida tão bem as palavras?
Boca em forma de asa
Desenhada à mão
Com enorme precisão
Boca de pessoa abençoada
Quisera um dia saber
Os enigmas misteriosos
E os mistérios enigmáticos
Que povoam essa boca
Tão tentadora de se ver
Será que vela pela palavra sagrada
Será que cospe palavrões
A cada tropeçada
Será que conjuga a latência
Sempre irrealizada do nada
Será que beija com sofreguidão?
Beijo sincero
(Poeta Anônimo)

Boca Cuja Fôrma É Palavra


A boca que a linguagem traqueja 
Que a voz grita e verseja
Deita a língua que beija e veleja
Com sofreguidão e sorriso
Com desejo de paraíso
Que a traqueia faz suspirar
Que o céu da boca faz tocar
Delirar e criar asas rubentes
Festejar os agridoces diferentes
Boca que o paladar saboreia
Que inspira poesia e proseia
Faz o corpo dançar e serpenteia
Sussurra baixinho meus sons
Decifra os enigmas e os tons
Não gosta de caviar e se cala
Se fala come camarão
Boca misteriosa, não diz um se quer palavrão...
Se embriaga de fantasia pura em nudez
Conjuga o verbo sem censura com polidez
Sente o gosto do desgosto e do pecado
Aprecia o doce bom e bom bocado...
Agradece a homenagem
Assina os versos nessa linguagem...

Son Dos Poemas